Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Dia Mundial do Vegetarianismo

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 01.10.16

Sabiam que hoje é o dia Mundial do Vegetarianismo! 

 

 

 

 

Com a crescente visualização de documentários e polémica em relação aos produtos de origem animal, em geral, muito se fala de vegetarianos e de veganos/vegans.

 

 

Sabem qual é a diferença?

O vegetariano é, por definição, alguém que se alimenta basicamente de grãos, sementes, vegetais, cereais e frutas. Os vegetarianos estritos excluem o uso de todas as carnes animais, incluindo peixe e frango, ovos, lacticinios e mel. 

No entanto existem diversos tipos de vegetarianos. Fique a conhecê-los.

Ovo-lacto-vegetarianos

Comem lacticínios e ovos, além dos produtos de origem vegetal.

 

Lacto-vegetarianos

Este grupo de vegetarianos exclui os ovos da sua alimentação no entanto, não sentem necessidade de abrir mão dos lacticínios por vários motivos.

 

Ovo-vegetarianos

Incluem na sua alimentação os ovos, mas excluem o leite e todos os seus derivados.

 

Veganos/Vegan

Não consomem nenhum tipo de produto de origem animal ou que tenha sido testado em animais.

Este grupo exclui a carne de animais (carne vermelha, aves, peixe) e também produtos animais (ovos e lacticínios). Exclui ainda o mel e a gelatina, o uso de produtos de origem animal (couro, seda, lã, lanolina, etc), os produtos testados em animais e os espectáculos onde a exploração animal é motivo de entretenimento (circo, touradas, etc.).

O veganismo vai, pois, além da alimentação e pode ser definido como um estilo de que busca excluir, na medida do possível e do prático, todas as formas de exploração e tratamento cruel de animais na alimentação, no vestuário e com qualquer outro fim.

 

Crudívoros

Alimentam-se única e exclusivamente de alimentos crus. Defendem que o homem é o único animal que cozinha os alimentos, destruindo com isto as suas propriedades nutritivas e que estamos preparados para digerir e assimilar alimentos crus (naturais).

 

 

 

 Para dúvidas procurem sempre um nutricionista!

 

A alimentação vegetariana/vegana pode ser uma das mais saudáveis!

 

Ana Catarina Tavares

1726 N

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Documentários - Parte VII

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 02.05.16

O veneno está na mesa - parte II

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Documentários - Parte VI

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 25.04.16

 

O Veneno Está na Mesa

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Documentários - Parte IV

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 11.04.16

 

Meat The Truth - Uma verdade mais do que inconveniente

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Documentários - Parte III

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 04.04.16


Eartthlings (Terráqueos) --> Apesar de considerar um documentário que toda agente deveria ver aviso desde já que é um documentário forte e pode ferir susceptibilidades

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


T... de Tamarilhos

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 14.03.16

Já alguma vez ouviram falar de tamarilhos?

 

O tamarilho também é conhecido como tomate arbóreo, tomate japonês ou tomate-maracujá. Tem uma forma oval e é originário da América do Sul. A sua casca pode ser vermelha ou ambar. A polpa é de cor amarela ou alaranjada, ácida e ligeiramente doce ao mesmo tempo. As sementes que se encontram no interior do fruto são pequenas e comestíveis. 

 

Normalmente, não se costuma comer a casca. Depois de descascado, pode comer-se cru ou cozinhado. Devido ao seu sabor agridoce é habitualmente utilizado em saladas, guisados, compotas, geleias, sumos e recheios de bolos. 

 

É um fruto pouco calórico uma vez que 100 g de tamarilhos contêm apenas 31 calorias. Também são boas fontes de fibra uma vez que por cada 100 g apresentam 3,4 g de fibras. 

 

Apresentam níveis elevados de antioxidantes provenientes essencialmente de compostos polifenólicos, flovonóides e antocianinas. Alguns destes fitoquímicos incluem o ácido clorogénico. Alguns estudos científicos sugerem que este ácido ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue na diabetes mellitus tipo II.

 

Este fruto é bastante rico em potássio, cobre, manganês, fibra, vitamina A, vitamina B6, vitamina C, vitamina E e Tiamina. Em conjunto, estas vitaminas actuam como co-factores para enzimas quer no metabolismo quer em diversas funções de síntese no interior do corpo.

 

É um fruto com baixo teor de gordura e de açúcar podendo ser um óptimo aliado quer em dietas de perda de peso quer em dietas de manutenção de peso. É também baixo em sódio pelo que pode ser consumido por hipertensos.

 

Só boas razões para consumir este fruto =)

FullSizeRender.jpg

 

Ana Catarina Tavares

1726N

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Salada de grão assado no forno

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 07.03.16

Ingredientes:

  • 1 cup (chávena) de grão de bico cozido
  • 1/2 colher de chá de azeite
  • 1/2 colher de chá de sal fino dos himalaias
  • 1/2 colher de chá de alho em pó
  • 1/4 colher de chá de pimenta em pó
  • 1/4 colher de chá de gengibre em pó
  • 1/4 colher de chá de cominhos
  • 1/8 colher de chá de cúrcuma (açafrão das índias) em pó
  • 1/8 colher de chá de paprika/pimentão doce

 

Preparação 

Pre aqueça o forno a 200 ºC e forre uma assadeira média com papel vegetal.
Lave e escorra o grão de bico e coloque sobre papel absorvente  até que esteja completamente seco.
Coloque o grão de bico numa tigela média e misture o azeite. Misture bem. Agora misture o restantes temperos.
Asse a 200ºC por 10 a 15 minutos ou até o grão estar torrado e estaladiço por fora mas ainda mole por dentro.
Deixe arrefecer e coloque por cima da sua salada (alface, tomate, milho, pepino, couve roxa.... o que quiser!)

 grão forno.jpg

Bom Apetite!

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Bolo de Abacate

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 22.02.16

E a propósito do post da semana passada qui fica uma receita com abacate =)

 

Bolo de Abacate:

 

Ingredientes

2 cups de farinha de trigo


1 cup de açúcar amarelo


1/2 cup de óleo


1 colher sopa de essência de baunilha


1 colher sopa de vinagre de maçã


1 colher café de bicarbonato de sódio


2 colheres chá de fermento em pó


1 cupde água a temperatura ambiente


1 abacate grande ou 2 abacates pequenos


Sumo de 1 limão grande



Preparação

Comece por preparar o abacate. Retire a polpa e esmague com um garfo adicionando o sumo de limão. Reserve.

Misture bem os ingredientes secos e acrescente a baunilha, o vinagre e o óleo.

Adicione a água aos poucos sempre mexendo para agregar os ingredientes.

Não é necessário bater.

Por fim, acrescente o abacate preparado antes e misture delicadamente.

Coloque a mistura numa forma de silicone de modo a não ter de levar mais gorduras. Deixe cozinhar em forno pré aquecido a 150 ºC por 30 a 40 minutos. 

 

Bom apetite!

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


A… de Abacate

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 15.02.16

Os abacates são nativos da América Central e do Sul e foram cultivados nestas regiões desde 8000 aC. Os principais produtores comerciais de abacates são os Estados Unidos, México, República Dominicana, Brasil e Colômbia.

Existem dezenas de variedades de abacate, incluindo as variedades Hass, Fuerto, Zutano e bacon.

A variedade Hass é o tipo mais popular de abacate. Tem uma casca mais escura.

O abacate Fuerte, geralmente disponíveis durante os meses de inverno, tem uma pele mais lisa verde, mais brilhante.

A palavra "abacate" é derivado da palavra asteca "ahuacatl", que significa testículo.

Um abacate está maduro e pronto para comer quando é um pouco mole, mas não deve ter manchas escuras afundados ou rachaduras.

 

Ana Catarina Tavares

1726N

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Os diversos tipos de sal

por Ana Catarina Tavares, Nutricionista, em 01.02.16

O que chamamos popularmente de sal de cozinha, ou simplesmente sal, é o cloreto de sódio .

O sal foi provavelmente, desde o início dos tempos, o primeiro mineral a ser utilizado conscientemente pelo homem como suplemento alimentar. A necessidade cada vez maior e a preocupação do homem em manter os alimentos em bom estado de conservação levou-o a perceber que o uso do sal seria um dos métodos possíveis.

Além do paladar, o sal é uma necessidade vital. Sem sódio o organismo é incapaz de transportar nutrientes, transmitir impulsos nervosos e mover músculos.

 

 Sal de cozinha refinado:  Composto por 60% de cloreto e 40% de sódio sendo obtido por meio da evaporação da água do mar. Cada grama de sal possui 400mg de sódio.

- Sal grosso: Possui a mesma composição do sal de cozinha porém não passa pelo processo de refinamento. É mais utilizado para temperar carnes, principalmente churrasco. Possui também 400mg de sódio para 1g de sal grosso.

- Sal light: É composto de 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio e por isso é considerado um sal mais saudável, pois o sódio auxilia na retenção de líquidos e o potássio é diurético, havendo assim um equilíbrio. Este produto não é recomendado para pacientes com problemas renais. Cada 1g de sal light possui 197mg de sódio.

- Sal marinho: Provém também da evaporação da água marinha, entretanto o refinamento é mais grosseiro e por isso os grãos são mais irregulares e preserva-se mais a presença dos minerais. 1g de sal marinho possui 420mg de sódio.

- Sal rosa do Himalaia: É retirado das montanhas dos Himalaias onde já houve a presença do mar à milhares de anos. Possui coloração rosa devido a presença de mais de 80 minerais, entre eles, o ferro, potássio, magnésio e cálcio. 1g possui 230mg de sódio. O sal rosa ainda tem um poder altamente desintoxicante, fortalece os músculos e melhora o sistema imunitário.  

- Sal defumado: Este sal é defumado a partir da queima de barris de carvalho usado no envelhecimento de vinhos. É muito requintado e com valor bem elevado. 1g contém 395mg de sódio.

- Sal líquido: sal dissolvido em água mineral e por ser em forma de spray pode salgar os alimentos de forma mais uniforme auxiliando no menor consumo de sódio. 1ml de sal líquido possui 110mg de sódio.

- Sal negro: provém da Índia e é um sal vulcânico. Possui enxofre na sua composição o que garante seu sabor sulforoso. 1 g de sal negro = 380 mg de sódio

- Sal temperado com ervas como manjericão, orégãos, alecrim, sálvia, tomilho e salsa. Por ser temperado oferece maior sabor aos alimentos e por isso utiliza-se menor quantidade de sal.

- flor de sal é um aglomerado de cristais que se forma à superfície da água do mar. A flor de sal é fonte natural de ferro, zinco, magnésio, iodo, flúor, sódio, cálcio, potássio e cobre, pois não sofre nenhum processamento ou refinação posterior à sua recolha do mar. A coloração acinzentada dá-se devido à presença de areia, mas também é comum o uso de outros elementos para alterar a cor do produto. 1 g de flor de sal tem 450mg de sódio

Sal marinho integral (não refinado) - Este tipo de sal contem cerca de 84 elementos entre os quais o iodo de fácil assimilação. Contem igualmente magnésio, cálcio, zinco, cobalto, ferro, mercúrio entre outros minerais. Enquanto que ao sal refinado normalmente é acrescentado iodo, o sal marinho refinado apresenta na sua constituição os dois minerais em equilíbrio, sendo por isso menos prejudicial à saúde. Apesar de conter ligeiramente menos cloreto de sódio que o sal marinho refinado não deve ser consumido em grandes quantidades.

Na minha opinião o melhor sal é o sal dos himalaias. Uma vez que este sal é bastante dispendioso em segundo lugar está o sal marinho integral como sendo um dos mais saudáveis.  No entanto, existem muitas das vezes embalagens que dizem sal marinho integral em letras grandes e em letras pequeninas diz sal marinho refinado. Tenha atenção para não ser enganado. Seja que tipo de sal for devem ser sempre consumidos com bastante moderação! Segundo a Organização Mundial da Saúde os adultos devem consumir cerca de no máximo 5g/dia de sal sendo que apenas os alimentos já atingiriam essa recomendação e com adição do sal nas preparações acaba-se consumindo mais que o dobro dessa recomendação. O excesso de sódio retém água e faz com que eleve a pressão arterial e esse processo propicia o surgimento de doenças cardíacas e renais, além do tradicional desconforto proveniente dos inchaços.

 

Ana Catarina Tavares

1726N

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D


Links

  •